quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Forte da Alpena - Trafaria

O Forte da Alpena, era um sistema de paióis anexos à 5ª Bateria do RAC e pertencia ao Depósito Geral de Material de Guerra (DGMG) sediado em Beirolas, ao contrário da Raposeira, tinha uma guarnição permanente de 24/24 horas por dia, que era composta por militares do quartel da Trafaria, 2 Cabos e 12 Soldados, pelo facto de ser a unidade militar mais perto. Em 1961, não tinha energia eléctrica instalada, sendo a mesma fornecida por um grupo gerador a partir da década de 70.

O complexo era constituído por uma Porta d’ Armas, a norte e a sul por um Portão de Viaturas, vários edifícios subterrâneos, todos eles interligados por um sistema de corredores, túneis  e guaritas de vigilância.
Mais tarde, com a fixação da C.H.E.R.E.T., B.I.R.T. e mais tarde, B.I.S.M. no quartel da Trafaria, os militares do RAC, foram divididos entre a 5ª e 6ª batarias.


O Forte tem cerca de 12 ninhos para a colocação de bocas-de-fogo anti aéreo e de costa, que com o plano Barron, o projecto foi abandonado. 
Actualmente, este complexo já não pertence ao exército, e com a desactivação do RAC, este complexo foi abandonado e deixado entregue ao vandalismo, quando, devido à sua posição geográfica e paisagística, podia ter sido transformado em algo turístico.

















































































































1 comentário:

  1. boa tarde, gostaria de entrar em contacto com o senhor. Organizei uma actividade na zona da 5ª Bateria e do Forte de Alpena e gostaria de ter informação de como eram no seu período de actividade.

    jfrancysss@gmail.com

    ResponderEliminar